Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede2.usc.br:8080/jspui/handle/tede/137
Tipo do documento: Tese
Título: Imunomarcação e histomorfometria em procedimentos de regeneração tecidual guiada com membranas de látex, ptfe e de origem bovina
Título(s) alternativo(s): Immunostaining and histomorphometry in procedures of guided tissue regeneration with latex membranes, ptfe and bovine origin
Autor: Ré, Gustavo Henrique Savariani de 
Primeiro orientador: Saraiva, Patricia Pinto
Resumo: O tecido ósseo exibe capacidade de regeneração, mas esta é restringida na presença de tecidos competidores com alta capacidade proliferativa. O objetivo deste trabalho foi avaliar a imunomarcação de marcadores de atividade óssea, e verificar a neoformação de tecido ósseo em procedimentos de Regeneração Tecidual Guiada com biomembranas de Látex, Politetrafluretileno (PTFE) e de origem bovina absorvível. Para estas observações foram confeccionados defeitos críticos (que não possuem capacidade regenerativa espontânea) da calota craniana de ratos, por meio de análise histomorfométrica e imunoistoquímica para osteopontina e fosfatase ácida resistente ao tartarato (TRAP). Foram utilizados 60 animais nos quais foram realizados defeitos ósseos críticos, e tratados com procedimentos de RTG. Os animais foram divididos nos seguintes grupos: controle (sem membrana), membrana de látex, PTFE e de origem bovina absorvível, avaliados nos períodos de 7, 14 e 28 dias. Aos 7 e 28 dias a membrana de PTFE mostrou maior formação óssea (19,5±3,69 e 50,5±3,69, respectivamente, p<0,05) em relação ao grupo controle (9,5±1,91 e 22,75±6,6, respectivamente) e às membranas de Látex (6,5±3,78 e 32,5±9,53, respectivamente) e de origem bovina (11±4,39 e 37,5±3,5, respectivamente). Aos 7 dias, a menor formação de tecido ósseo foi notada no grupo da membrana de Látex (6,5±3,78, p<0,05), em comparação ao controle (9,5±1,91), membrana de origem bovina (11±4,39) e PTFE (19,5±3,68). No período de 14 dias, não houve diferença entre os grupos. A imunomarcação não mostrou diferenças entre os grupos e tempos analisados (p>0,05), mas indicativos da menor marcação de osteopontina no grupo que utilizou a membrana de látex, e de TRAP no grupo de membrana de PTFE. Assim, podemos afirmar que a membrana de PTFE apresentou os melhores resultados quanto à formação de tecido ósseo, e que os marcadores ósseos indicam as atividades de formação e absorção frente ao uso de diferentes membranas na técnica de RTG, em defeitos críticos.
Abstract: Bone tissue regeneration capacity displays, but this is restricted in the presence of competitors tissues with high proliferative capacity. The objective of this study was to evaluate the immunostaining for markers of bone activity, and check the new formation of bone tissue in Guided Tissue Regeneration procedures with látex membrane, Polytetrafluoroethylene (PTFE) and bovine absorbable. For these observations made so critical defects (which have no spontaneous regenerative capacity) of the skull of rats by means of histomorphometric analysis and immunohistochemistry for osteopontin and tartrate-resistant acid phosphatase (TRAP). A total of 60 animals which were performed in critical bone defects, and treated with GTR procedures. The animals were divided into the following groups: control (no membrane), latex membrane, PTFE and bovine absorbable evaluated on days 7, 14 and 28 days. At 7 and 28 days the PTFE membrane showed greater bone formation (19.5 ± 3.69 and 50.5 ± 3.69, respectively, p <0.05) compared to the control group (9.5 ± 1, 91 and 22.75 ± 6.6, respectively) and the latex membrane (6.5 ± 3.78 and 32.5 ± 9.53, respectively) and bovine (11 ± 4.39 and 37.5 ± 3.5, respectively). At 7 days, the smallest bone tissue formation was noted in the group of the latex membrane (6.5 ± 3.78, p <0.05), compared to control (9.5 ± 1.91), membrane bovine (11 ± 4.39) and PTFE (19.5 ± 3.68). In 14 days, there was no difference between groups. The immunostaining showed no differences between groups and time analyzed (p> 0.05), but indicative of lower marking osteopontin in the group using the latex membrane, and TRAP in group PTFE membrane. Thus, we can say that the PTFE membrane showed the best results on the formation of bone tissue and bone markers indicate that the training activities and absorption against the use of different membranes in GTR technique in critical defects.
Palavras-chave: REGENERAÇÃO TECIDUAL GUIADA
LÁTEX
POLITETRAFLUORETILENO
MEMBRANA DE ORIGEM BOVINA
OSTEOPONTINA
FOSFATASE ÁCIDA RESISTENTE AO TARTARATO
GUIDED TISSUE REGENERATION
LATEX
POLYTETRAFLUOROETHYLENE
BOVINE MEMBRANE
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: IASCJ - Universidade Sagrado Coração
Sigla da instituição: USC
Departamento: Ciências da Saúde e Biológicas
Programa: Biologia Oral
Citação: RÉ, Gustavo Henrique Savariani de. Immunostaining and histomorphometry in procedures of guided tissue regeneration with latex membranes, ptfe and bovine origin. 2012. 76 f. Tese (Doutorado em Biologia Oral) - IASCJ - Universidade Sagrado Coração, Bauru, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/137
Data de defesa: 13-Fev-2012
Aparece nas coleções:Doutorado em Biologia Oral

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_gustavo_henrique_savariani_de_re.pdf9,92 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.