Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede2.usc.br:8080/jspui/handle/tede/27
Tipo do documento: Dissertação
Título: Fraturas em idosos por quedas acidentais no domicílio
Título(s) alternativo(s): Fractures in the elderly by accidental falls at home
Autor: Sato, Lílian Aparecida Venancio 
Primeiro orientador: Laurenti, Ruy
Resumo: Pessoas com 60 anos de idade ou mais podem ter sua autonomia e sua independência alteradas em razão das consequências de quedas, dentre outras causas, consideradas problemas de Saúde Pública, pois acarretam efeitos limitantes para elas (LAMBERT et al., 1988). A justificativa desse estudo deveu-se ao número de danos causados por quedas acidentais, à medida que a população envelhece (LACH, 2002). O objetivo desse estudo foi caracterizar as fraturas em idosos que sofreram quedas acidentais em seu domicílio, descrevendo o perfil desse idoso, mostrando as causas e os resultados desses acidentes. A pesquisa foi realizada em um hospital universitário de grande porte da rede pública, localizado em Londrina PR. Os sujeitos foram 74 pacientes com idade igual ou superior a 60 anos, que chegaram a esse hospital por fraturas decorrentes de quedas acidentais em domicílio no período de dezembro de 2007 a junho de 2008. O formulário utilizado constou de análise de Ficha de Pronto Socorro prontuário do paciente e mais um questionário com 14 questões abertas e fechadas, que continham dados relacionados à queda do idoso. Assim foram utilizados dados primários e secundários. Dessa forma, chegou-se às seguintes conclusões: as quedas são um evento real na vida dos idosos; atingiram principalmente as mulheres, num total de 58,1%. Os idosos que mais sofreram quedas foram aqueles na faixa etária de 66 a 70 anos (48,6%). Os locais onde mais ocorreram as quedas foram a sala e a cozinha, perfazendo um total de 66,2%. As fraturas mais vistas nesse estudo foram as de fêmur (33,8%). Quanto ao que o idoso fazia quando da queda, a maioria (62,2%) respondeu que andava e, de acordo com a literatura, grande parte das quedas em idosos está associada às AVDs. Dentre os medicamentos utilizados pelos idosos, estavam os anti-hipertensivos e os hipoglicemiantes, concordando com vários estudos que abordam a medicação dos idosos. Vimos também que um número significativo de idosos fazia uso de benzodiazepínicos, medicação ligada à ocorrência de quedas em idosos, segundo a literatura. Quanto ao uso de bebida alcoólica, o presente estudo não mostrou números significativos para confrontarmos com a literatura, somente quatro idosos faziam uso contínuo de bebida. Quanto às quedas recorrentes nos últimos três meses, a maioria dos idosos não as teve, concordando assim com a literatura e demonstrando que a maioria dos idosos sofre pelo menos uma queda durante o ano. Vimos que a maioria dos idosos entrevistados faz uso de óculos ou lentes, denotando haver acuidade visual diminuída, sendo um dos fatores desencadeadores de quedas, segundo a literatura. A maioria dos idosos afirmou ter em casa fatores de risco ambientais, como escadas e rampas com piso deslizante e sem apoio, concordando com a literatura, apontando os fatores extrínsecos possíveis responsáveis por um grande número de quedas. Neste estudo, vimos ainda que 56,8% dos idosos apresentavam problemas nos pés ou uso de calçados inadequados. Segundo a literatura estudada, esse é outro fator de propensão a quedas. Os principais cuidadores de idosos, percebidos nas entrevistas, são a(o) esposa(o) e os filhos, assim como é mostrado em vários estudos lidos.
Abstract: People with 60 years of age or older can have their autonomy and their independence changed because of the consequences of falls, among other causes, considered as public health problems, because they lead to limiting effects for them (LAMBERT et al., 1988). The justification of this study was due to the number of injuries caused by accidental falls, as the population gets older (LACH, 2002). The aim of this study was to identify the elderly who have suffered fractures in accidental falls in their homes, describe their profile and show the causes and results of these accidents. The study was conducted in a university hospital in a large public group, located in Londrina PR. The subjects were patients aged less than 60 years who came to this hospital due to fractures resulting from accidental falls at home from December 2007 to June 2008. The form used consisted of 14 open and closed questions containing data related to the fall of the elderly. This way, we got to the following conclusions: falls are a real event in the life of the elderly; they affected mainly women, a total of 58.1%. The elderly who have suffered more falls were those aged 66 to 70 years (48.6%). The places where there were most falls were in the living room and kitchen, making a total of 66.2%. The fractures which were most found in this study were of the femur (33.8%). Related to what the elderly was doing during the fall, the majority (62.2%) said that they were walking, and, according to the literature, most of the falls in the elderly is associated with ADLs. Among the drugs used by seniors, were the antihypertensive and hypoglycemic, according to several studies that approach the medication of the elderly. We also noticed that a significant number of older people made use of benzodiazepines, a medication related to the occurrence of falls in older people, according to the literature. Related to the use of alcohol, this study showed no significant numbers to compare with the literature, only four of the elderly made continuous use of drinks. Concerning recurrent falls in the last three months, most patients did not have them, thus, in accord with the literature and showing that most patients have at least one fall during the year. We observed that most elderly respondents made use of glasses or lenses, showing that there is diminished eyesight acuity, being one of the triggering factors of falls, according to the literature. Most elderly people have said that they have home environmental risk factors, such as stairs and ramps with sliding floor with and without support, agreeing with the literature and indicating the possible extrinsic factors responsible for a large number of falls. In this study, we further noticed that 56.8% of the elderly had feet problems or used inappropriate footwear. According to the literature studied, that is another factor in propensity to falls. The main carers of the elderly, found in the questionnaires, are the wife (husband) and children (son or daughter), as it is shown in several studies read for this work.
Palavras-chave: IDOSO
QUEDAS
CONSEQUÊNCIA DAS QUEDAS
ELDERLY
FALLS
CONSEQUENCES OF FALLS
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA
Idioma: por
País: BR
Instituição: IASCJ - Universidade Sagrado Coração
Sigla da instituição: USC
Departamento: Ciências da Saúde e Biológicas
Programa: Saúde Coletiva
Citação: SATO, Lílian Aparecida Venancio. Fractures in the elderly by accidental falls at home. 2009. 87 f. Dissertação (Mestrado em Odontologia - Saúde Coletiva) - IASCJ - Universidade Sagrado Coração, Bauru, 2009.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/27
Data de defesa: 1-Abr-2009
Aparece nas coleções:Mestrado em Saúde Coletiva

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
dissertacao_lilian_aparecida_venancio_sato.pdf3,75 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.