Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede2.usc.br:8080/jspui/handle/tede/98
Tipo do documento: Dissertação
Título: Análise imunoistoquímica e histomorfométrica do reparo de enxertos para levantamento de seios maxilares de coelhos com hidroxiapatita bovina e b-tricálcio fosfato
Título(s) alternativo(s): Immunohistochemical analysis and histomorphometry of graft for repair of lifting maxillary sinuses of rabbits with hydroxyapatite bovine and b-tricalcium phosphate
Autor: Nunes, Leandro Soeiro de Souza 
Primeiro orientador: Matsumoto, Mariza Akemi
Resumo: Vários são os biomateriais disponíveis e indicados para procedimentos de levantamento de seios maxilares, associados ou não a osso autógeno, que apresentam diferentes comportamentos biológicos devido à sua origem, morfologia e ao nível de degradação. O presente estudo analisou e comparou o osso autógeno com dois biomateriais: a hidroxiapatita bovina (HA) e o b-tricálcio fosfato (b-TCP) em levantamento de seios maxilares, em nível histológico, histomorfométrico e imunoistoquímico. Coelhos machos foram submetidos a procedimento de levantamento dos seios maxilares sob anestesia geral e, aleatoriamente, divididos em três grupos contendo oito animais cada, conforme a seguir: Grupo 1 (controle): osso autógeno particulado; Grupo 2) HA, e Grupo 3) b-TCP, a serem sacrificados após uma, duas, quatro e oito semanas. A análise microscópica revelou padrão de reparação similar e resposta tecidual satisfatória no grupo teste e evidente capacidade osteocondutora de ambos os materiais. As áreas de neoformação óssea, tecido mole e medular, material remanescente ou fragmentos do osso enxertado, foram obtidas por meio de análise histomorfométrica e submetidas aos testes ANOVA e para individualização, o teste de Tukey (p < 0,05). Após duas semanas, observou-se diferença estatisticamente significante entre os Grupo 1 (27,76 ± 7,8) e Grupo 2 (14,22 ± 3,23) e entre o Grupo 1 (27,7 6± 7,8) e o Grupo 3 (11,1 ± 7,74), em relação ao material remanescente. Após quatro semanas, diferenças estatisticamente significantes foram detectadas em relação à formação óssea entre os Grupos 1 (60,71 ± 8,52) e 2 (14,13 ± 3,21) e entre o Grupo 1 (60,71 ± 8,52) e o Grupo 3 (18,05 ± 1,4). O último período mostrou diferenças estatisticamente significantes na formação óssea entre o Grupo 1 (54,19 ± 11,4) e Grupos 2 (47 ± 12,1) e 3 (27,33 ± 8,7), e entre os Grupos 2 (10,52 ± 2,27) e 3 (40,62 ± 8,46), em relação à área de tecido mole. No Grupo 1, a marcação imunoistoquímica para Cbfa-1 mostrou um padrão de marcação de intensidade moderada, principalmente nas células do tecido de granulação neoformado nos períodos de uma e duas semanas do reparo ósseo, tornando-se baixa, e nos períodos de quatro e oito semanas. Para o Grupo 2, entretanto, a imunomarcação mostrou-se com um padrão mais intenso nos períodos de uma e duas semanas, também com tendência a ser tornar menos evidente nos períodos mais adiantados de neoformação óssea. Em relação ao Grupo 3, a marcação imunoistoquímica mostrou-se fraca em todos os momentos experimentais estabelecidos. No que diz respeito ao VEGF, a marcação foi evidenciada em células endoteliais dos capilares neoformados, sem diferenças entre os grupos experimentais em todos os momentos estabelecidos no estudo. Deste modo, concluiu-se que ambos os biomateriais permitiram o crescimento de tecido ósseo em um padrão predominante de osteocondução, não interferindo na remodelação óssea no último período, com uma discreta melhora na formação óssea quando da utilização da HA, confirmado pela marcação imunoistoquímica.
Abstract: Several biomaterials are available and indicated for sinus lift procedures associated or not with autogenous bone, presenting different biological behaviors due to their origin, shape, size, and level of degradation. Objective: The aim of the present study was to analyze and compare the autogenous bone with two biomaterials: bovine hydroxyapatite (HA) (Bio-Oss ) and β-tricalcium phosphate (β-TCP) (Cerasorb ) in sinus lift procedures. Methods: Male rabbits underwent bilateral sinus lift procedures under general anesthesia and randomly divided into three groups, with eight animals each, as follow: Group 1 (control): particulate autogenous bone; Group 2) bovine HA; and Group 3) β-TCP, to be killed after one, two, four and eight weeks. Results: The microscopic analysis showed similar repair pattern and satisfactory tissue response between test groups (2 and 3), and clear osteoconductive capacity of both materials. New bone formation, soft and medular tissue, remain material or particulate bone graft area were obtained by histomorphometric analysis and submitted to ANOVA and Tukey tests (p < 0,05). After two weeks, significant statistical differences in new bone formation were found between Group 1 (27,76 ± 7,8) and Groups 2 (14,22 ± 3,23) and 3 (11,1 ± 7,74) and in relation to remain material between the same groups, Group 1 (16,72 ± 14,9) and Groups 2 (60,55 ± 6,28) and 3 (46,96 ± 10,01). After four weeks, significant statistical differences were detected in bone formation between Group 1 (60,71 ± 8,5) and 2 (14,13 ± 3,2) and between Group 1 (60,71 ± 8,5) and 3 (18,05 ± 1,4). The last period showed differences in bone formation between Group 1 (54,19 ± 11,4), and Groups 2 (47 ± 12,1) and 3 (27,33 ± 8,7) and between Groups 2 (10,52 ± 2,2) and 3 (40,62 ± 8,4) in relation to soft tissue. In Group 1, moderate imunohistochemical expression for Cbfa-1 was observed, mainly in cells of granulation tissue after one and two weeks of bone repair, becoming weak in periods of four and eight weeks. However, Group 2 presented a more intense expression after one and two weeks, also with a tendency to decrease in the last periods of bone repair. Weak imunohistochemical expression was noted in Group 3, in all established periods of the experiment. In relation to VEGF the imunohistochemical expression was seen in the endothelial cells of new formed capillaries, with no differences between the experimental groups in all analyzed periods. In conclusion, both materials permitted bone growth in an osteoconductive pattern, with no interference in bone remodeling in the last period, showing a slight improve in bone tissue formation when using HA, confirmed by imunohistochemistry.
Palavras-chave: HIDROXIAPATITA BOVINA
b-TRICÁLCIO FOSFATO
REPARO ÓSSEO
LEVANTAMENTO DE SEIO MAXILAR
COELHO
IMUNOISTOQUÍMICA
BOVINE HIDROXYAPATITE
b-TRICALCIUM PHOSPHATE
BONE REPAIR
SINUS LIFT
RABBIT
IMUNOHISTOCHEMISTRY
Área(s) do CNPq: ODONTOLOGIA::CIRURGIA BUCO-MAXILO-FACIAL
Idioma: por
País: BR
Instituição: IASCJ - Universidade Sagrado Coração
Sigla da instituição: USC
Departamento: Ciências da Saúde e Biológicas
Programa: Cirurgia Bucomaxilofacial
Citação: NUNES, Leandro Soeiro de Souza. Immunohistochemical analysis and histomorphometry of graft for repair of lifting maxillary sinuses of rabbits with hydroxyapatite bovine and b-tricalcium phosphate. 2009. 100 f. Dissertação (Mestrado em Biologia Oral - Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial) - IASCJ - Universidade Sagrado Coração, Bauru, 2009.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/98
Data de defesa: 9-Fev-2009
Aparece nas coleções:Mestrado em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial (CTBMF)

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
dissertacao_leandro_soeiro_de_souza_nunes.pdf2,43 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.