Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.unisagrado.edu.br:8443/handle/tede/442
Tipo do documento: Dissertação
Título: Epidemiologia do padrão face curta em escolares do ensino fundamental do município de Bauru -SP
Título(s) alternativo(s): Epidemiology of the short face pattern in schoolchildren of the municipality of Bauru-SP
Autor: Bastos, Douglas Rezende 
Primeiro orientador: Pedrin, Renata Rodrigues de Almeida
Resumo: Esta pesquisa avaliou a prevalência e distribuição étnica de indivíduos com deficiência vertical (padrão face curta) de acordo com três níveis de severidade. A pesquisa foi composta por 4409 indivíduos de etnia brasileira (2.192 mulheres e 2.217 homens) matriculados em escolas de ensino médio em Bauru-SP, Brasil. O critério de inclusão dos indivíduos com relações faciais verticalmente prejudicada foi baseada em compressão labial excessiva, avaliadas sob luz natural, em pé posição natural da cabeça com os lábios em repouso. Uma vez identificados, os indivíduos foram classificados em três subtipos de acordo com a severidade: leve, moderada e grave. Em seguida, a amostra total foi distribuída de acordo com a origem étnica como brancos (caucasianos), negros, pardos e amarelos. Utilizou-se o (χ2) teste do qui-quadrado (p <0,05) para comparar as proporções de indivíduos com padrão face curta na amostra total e entre diferentes etnias, de acordo com os três níveis de severidade. Os resultados mostraram que a prevalência do Padrão Face Curta foi de 3,15%, com predominância do nível de severidade moderada (2%). A prevalência do Padrão Face Curta para severidade leve foi de 1,13% e para a severidade grave foi 0,02%. A raça branca apresentou maior prevalência de indivíduos portadores de face curta, seguida pelos pardos, negros e amarelos. Os brancos (65,29%) e os pardos (64,29%) apresentaram prevalência do nível de severidade moderado, enquanto entre os amarelos (100%) e negros (100%) prevaleceu o nível de severidade leve. O único indivíduo que apresentou nível de severidade grave foi da raça branca. Houve uma maior frequência de indivíduos do sexo feminino (4,29%) que apresentou o Padrão Face Curta em relação ao sexo masculino (2,03%). Tanto para o sexo masculino (1,26%) quanto para o sexo feminino (2,74%) o nível de severidade que predominou foi o moderado.
Abstract: Individuals with short face may present different degrees of severity in vertical deficiency, as well as malocclusions that are difficult to manage. The categorization of vertical deficiency is useful to determine the treatment prognosis. This survey assessed the distribution of ethnically different individuals with vertical deficiency according to three levels of severity, and the determined prevalence of short face pattern. The survey was comprised of 4,409 individuals of Brazilian ethnicity (2,192 females and 2,217 males) enrolled in middle schools in Bauru-SP, Brazil. The criterion for inclusion of individuals with vertically impaired facial relationships was based on excessive lip compression, evaluated under natural light, in standing natural head position with the lips at rest. Once identified, the individuals were classified into three subtypes according to the severity: mild, moderate, and severe. Then the pooled sample was distributed according to ethnical background as White (Caucasoid), Black (African descent), Brown (mixed descent), Yellow (Asian descent). The Chi-square (2) test was used (p<0.05) to compare the frequency ratios of individuals with vertically impaired facial relationships in the total sample and among different ethnicities, according to the three levels of severity and between sexes. It was observed that the prevalence of Face Pattern Short was 3.15%, with a predominance of moderate severity level (2%). The prevalence of Face Pattern Short to mild severity was 1.13% and for severe severity was 0.02%. Caucasians had the highest prevalence of individuals with short face, followed by browns, blacks and yellows. Whites (65.29%) and brown (64.29%) had a prevalence of moderate severity level, while among the yellow (100%) and blacks (100%) prevailed average severity mild level. The only guy who showed severe level of severity was white. There was a higher frequency of females (4.29%) who presented the Face Pattern Short compared to males (2.03%). Both for males (1.26%) and females (2.74%) the severity level that prevailed was moderate. White individuals had the highest prevalence of individuals with short face, followed by browns, blacks and yellows. The prevalence of short face pattern was 3.15% in which 2% and 0.02% belonged to moderate and severe subtypes, respectively.
Palavras-chave: Face
Diagnóstico
Deformidades dentofaciais
Ortodontia
Epidemiologia
Face
Diagnosis
Abnormalities
Orthodontics
Epidemiology
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade do Sagrado Coração
Sigla da instituição: USC
Departamento: Ciências da Saúde e Biológicas
Programa: Ortodontia
Citação: Bastos, Douglas Rezende. Epidemiologia do padrão face curta em escolares do ensino fundamental do município de Bauru -SP. 2013. 46 f. . Dissertação (Mestrado em Ortodontia) - Universidade do Sagrado Coração, Bauru, 2013 .
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.usc.br:8443/handle/tede/442
Data de defesa: 19-Feb-2019
Appears in Collections:Mestrado em Ortodontia



Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.