Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.unisagrado.edu.br:8443/handle/tede/52
Tipo do documento: Dissertação
Título: Nível de informação sobre biosseguranca dos profissionais de saúde no pré-hospitalar
Título(s) alternativo(s): Biosafety level of information about health professionals in the prehospital
Autor: Moura, Marcio Alex de Almeida 
Primeiro orientador: Marta, Sara Nader
Resumo: No Brasil, a organização dos serviços de ambulâncias destinados à transferência de pacientes entre unidades não hospitalares ou hospitalares de atendimento às urgências e emergências de caráter público ou privado está sob a responsabilidade quase que exclusiva do serviço de atendimento móvel de urgências (SAMU). Os profissionais que atuam nos serviços de emergência estão mais expostos a fluidos corporais de seus pacientes devido à natureza imprevisível de seus trabalhos, incluindo assim, os trabalhadores do Atendimento Pré-Hospitalar (APH) móvel. Este estudo teve como objetivo identificar o nível de informação dos profissionais da equipe pré-hospitalar do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgências) na cidade de Londrina do estado do Paraná sobre o tema biossegurança. Participaram do estudo 84 profissionais do SAMU divididos em duas categorias: categoria A de médicos e enfermeiros; e categoria B condutores/socorristas e técnicos e auxiliares de enfermagem que por meio de uma abordagem quantitativa utilizando um questionário com oito perguntas abertas e doze perguntas fechadas responderam questões sobre o tema biossegurança, precaução padrão, EPIs, NR32, imunização, acidentes com materiais biológicos. Os dados foram tabulados e analisados na planilha EXCEL e o teste do Qui-quadrado foi realizado para verificar se havia associação entre as variáveis nível de conhecimento e tempo de trabalho, cujo resultado foi positivo para ambas as categorias. Entretanto, a associação entre a participação em palestras informativas sobre o tema e o nível de conhecimento só foi positiva para a categoria B.Observou-se que na categoria B 51% desconhecem o assunto biossegurança; 90%, de ambas as categorias afirmaram observar um profissional do APH não utilizar óculos e máscaras, 54,54% da categoria A e 56,45% da categoria B não souberam o significado da Norma Regulamentadora 32 e acima de 95% dos entrevistados de ambas categorias afirmaram ser importante estarem vacinados.Diante dos resultados sugere-se a implantação de programas de educação continuada, treinamentos periódicos com a finalidade de melhorar o conhecimento do profissional sobre as recomendações da biossegurança em busca de uma assistência adequada em prol do usuário e da equipe de APH.
Abstract: In Brazil, the organization of ambulance services for the transfer of patients between hospitals or not hospital units which realizes public or private emergency and urgency services is almost exclusively covered by emergency ambulance service (SAMU). Professionals working in emergency departments are more exposed to body fluids from patients due to the unpredictable nature of their work, thus including the workers of the mobile pre-hospital care (PHC). This study aims to identify the level of information of the professionals of the emergency ambulance service SAMU in the city of Londrina, state of Parana, about the biosecurity issue. The study included 84 professionals of SAMU divided into two categories: category A for physicians and nurses, and category B drivers / helpers and technicians and nursing assistants who, through a quantitative approach using a questionnaire with eight open questions and twelve closed questions answered about biosecurity issues, standard precautions, personal protective equipment (PPE), NR32, immunization, accidents with biological materials. The data were tabulated and analyzed in EXCEL Office program and the chi-square test was performed to determine the association between the variables level of knowledge and working time and level of knowledge and participation in informative lectures according the two categories. During the analysis of results it was observed that in the category B, 51% ignore the the biosafety issue, 90% of both categories said that they had watched a professional not using the PPE goggles and masks, 54.54% of category A and 56.45% category B do not know the meaning of NR 32, over 95% of respondents in both categories said it is important to be vaccinated. This study showed the social importance of PHC, making necessary to implemente continuing education programs, periodic training in order to improve the knowledge of the professional about biosecurity recommendations, searching for a better assistance.
Palavras-chave: BIOSSEGURANÇA
PRÉ-HOSPITALAR
MATERIAIS BIOLÓGICOS
BIOSECURITY
PRE-HOSPITAL CARE
BIOLOGIC MATERIAL
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA
Idioma: por
País: BR
Instituição: IASCJ - Universidade Sagrado Coração
Sigla da instituição: USC
Departamento: Ciências da Saúde e Biológicas
Programa: Saúde Coletiva
Citação: MOURA, Marcio Alex de Almeida. Biosafety level of information about health professionals in the prehospital. 2012. 94 f. Dissertação (Mestrado em Odontologia - Saúde Coletiva) - IASCJ - Universidade Sagrado Coração, Bauru, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/52
Data de defesa: 31-Mar-2012
Appears in Collections:Mestrado em Saúde Coletiva



Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.